sexta-feira, 29 de abril de 2011

Pick-Up Corsa 1.6 Não pega

  


DEFEITO: corsa 2001 1.6 EFI que não tem centelha, segundo o
cliente o mesmo vinha apresentando baixo desempenho e alguns estouros e de repente morreu e não mais pegou. Chegou para mim guinchado de outra oficina segundo o mecânco o mesmo já tinha trocado uma bobina mais não resolveu o problema. Realizei a medições na bobina que apresentou resultados dentro do especificado, examinei fusível estava ok. Quando começamos a examinar no chicote para  vereficar a continuidade dos fios da bobina para central ao dar na partida o motor funcionou, isso é prova clara que tinha fio quebrado em algun lugar. fiz o teste com  a caneta de polaridade no fio preto que sai da bobina o led vermelho  não acendia mechia no chicote, o led vermelho acendia. A soluçaõ é abrir todo chicote pra achar o fio que estar interrompido.

SOLUÇÃO:REPARAR CHICOTE DE INJEÇAO E REFAZER FIO POSITIVO DA BOBINA E O PROBLEMA FOI RESOLVIDO.

Comentarios: 70% dos defeitos são de origem de mau contato, portanto é preciso sempre um bom exame antes de trocar peças. 

quinta-feira, 28 de abril de 2011

UNO FIRE.NÃO DESLIGA A "VENTOINHA"




Cliente  Reclama:    elétroventilador " ventoinha "não desliga 
Diagnóstico: No Scanner falha no sensor de temperatura.Voltagem alta.
SOLUÇÃO: SUBSTITUIR O SENSOR DE TEMPERATURA POIS O MESMO ESTAVA QUEIMADO.
OBS:http://blocktotal.blogspot.com/2011/04/onde-fica-o-sensor-de-temperatura-do.html
COMO AVALIAR O CIRCUITO DO SENSOR DE TEMPERATURA
1-Ignição ligada, motor parado, PONTA DE PROVA no fio (preto) do sensor (ligado ao pino 16 da centralina ). Negativo (-).
2-Ignição ligada, motor parado, MULTITESTE DIGITAL (modo voltímetro ) no fio ( branco ) do sensor ligado ao pino 13 da centralina. Dados abaixo motor quente: entre 0,4 a 0,6 v (220 W ).



Temperatura °C
100
80
60
40
30
20
Tensão V
0,5
0,8
1,4
2,2
2,7
3,9
Resistência W
200
370
730
1550
2400
3600     

quarta-feira, 27 de abril de 2011

Astra 1.8 falhando em baixa.



DEFEITO: Macha-lenta ok, em alta rotação não falhava, realizamos o teste de rotina.
 rastreamos o sistema de injeção e achamos uma avaria Sonda Lambda inoperante agora era preciso achar a causa dessa deficiência examinamos a Sonda e a mesma estava ok.
Como esse é um sintoma causado pelo sistema de ignição, testamos cabos,velas e bobinas.
SlOLUÇÃO: Substituir os cabos de velas os mesmo são principais causadores de fuga de corrente causando interferência elétromagnetica,  e o problema sumiu. esse tipo de problema é tão simples, e comum de acontecer. 

AMORTECEDORES. O QUE É?





O amortecedor é um componente do sistema de suspensão dos veículos.
A estabilidade,conforto e segurança ficam diretamente comprometidos se os amortecedores não estiverem atuando corretamente. Isto é verificado pela dificuldade no controle do veículo em curvas,freadas,pulos descontrolados das rodas e desgaste prematuro ou irregular dos pneus e demais componentes da suspensão.
Portanto,é importante a verificação periódicas dos amortecedores,bem como dos demais componentes da suspensão,sempre que o veículo passar por uma revisão.


COMO FUNCIONA? 
O amortecedor fica localizado na região inferior do veículo, sendo um elemento de ligação entre a suspensão e  a carroceria e controla os movimentos das molas fazendo com que o veículo mantenha a aderência ao solo.


QUANDO DEVE SER SUBSTITUÍDO?
O desgaste natural dos amortecedores ,causado pelo o uso,compromete a dirigibilidade do veículo e acelera o desgaste de outros componentes da suspensão. Assim, não corra risco desnecessário. Aconselho a troca dos amortecedores , preventivamente, antes dos 50.000 quilômetros rodados


RECOMENDAÇÕES.
Ao troca os amortecedores, escolha sempre os originais, porque os solo brasileiros são sempre um desafio   
  

terça-feira, 26 de abril de 2011

Injeção Flex 1.0


A tecnologia aplicada no novo sistema de injeção da Fiat é a SFS (Sofware Flexfuel Sensor), desenvolvida pela Magneti Marelli para ser utilizada nos primeiros bicombustíveis que a marca lançou no ano passado, com os motores 1.3 e 1.8 Flex. Esse software foi implantado no módulo de comando eletrônico – centralina – permitindo que o veículo seja abastecido com álcool, gasolina, ou qualquer proporção da mistura dos dois combustíveis, sem perder potência ou aumentar a emissão de poluentes na atmosfera.
Os motores com mil cilindradas têm maior sensibilidade e percebem com mais intensidade o combustível que será utilizado, além disso, exige rapidez na assimilação das regulagens e evidenciam as diferenças no consumo do combustível. Por esse motivo, o processador é maior, com mais capacidade para ler e identificar as informações da sonda lambda e dos sensores de temperatura, velocidade, rotação, detonação e do nível de combustível.
Com as informações reunidas, a centralina adequa o fluxo de combustível que será injetado e ajusta a mistura ar-combustível, além de detectar o instante em que a vela soltará a faísca para a queima da mistura. A proporção de álcool e gasolina será determinada em milésimos de segundo.
O que muda no motor
As seguintes mudanças foram feitas no motor 1.0 Fire, para receber a injeção eletrônica bicombustível:
a) a taxa de compressão subiu para 11,65:1;
b) o material das sedes e guias de válvulas ficou mais resistente ao álcool;
c) os bicos injetores e bomba de combustível ficaram com maior vazão;
d) a parede do coletor de admissão de plástico ficou menos rugosa;
e) a galeria de combustível de plástico, o corpo da borboleta e o sensor de temperatura e pressão do ar foram instalados no coletor;
f) foi instalado um sistema de partida a frio com gasolina;
g) após o corpo de borboleta, o coletor ganhou um furo calibrado para a injeção da gasolina.
Como funciona
Os sistemas de injeção flex e gasolina dos veículos 1.0 da Fiat contam com os mesmos sensores e atuadores. As diferenças do modelo flex são a centralina, o software, a partida a frio e sensor de nível do reservatório de gasolina para partida a frio.
Seu funcionamento é realizado por meio da centralina, responsável por definir a quantidade de gasolina injetada no motor, de acordo com a proporção de álcool acumulada no tanque. O sistema é baseado no desbandamento da sonda lambda, que tem um centro de funcionamento definido.
A sonda lambda lê a quantidade de oxigênio que o motor admitiu e identifica a mistura que será necessária para a combustão, analisando o ciclo anterior para saber qual mistura será necessária na próxima queima de combustível. “Em todos os momentos, a sonda informa para o sistema o que está acontecendo. Esse é o mesmo conceito do carro a gasolina, mas no caso do flexfuel, a sonda sai do centro da banda, para se ajustar ao sistema.
DiagnosesImage Hosted by ImageShack.us
Por contar com os mesmos sensores de um motor a gasolina, o profissional independente deve atualizar o software do seu scanner para identificar possíveis avarias no sistema flex 1.0. O scanner permite simular e determinar defeitos, desconectando os sensores.
Quando o defeito é na sonda lambda ou nos sensores, uma luz no painel de instrumentos acende alertando o motorista. Qualquer avaria faz com que a injeção entre em modo “recovery”, permitindo que o motorista leve o carro até um mecânico sem comprometer o sistema ou outros componentes. O sistema será ajustado em uma determinada proporção de mistura sem importar qual combustível está rodando.
Durante o funcionamento, a centralina verifica constantemente o sistema em busca de avarias. Toda vez que a partida é acionada, é feita uma avaliação de todos os sensores ligados a ela, ou seja, temperatura da água, temperatura e pressão do ar, posição da borboleta, comando do motor de passo, giro do motor, pressão do óleo e detonação e sonda lambda. Componentes periféricos, bicos injetores, partida auxiliar, bomba de combustível e o sensor que monitora o ar-condicionado também são checados. Se for detectada alguma anormalidade, a luz do painel se acenderá.
Manutenção
O motor 1.0 flex precisa dos mesmos cuidados dos modelos a gasolina em relação à manutenção preventiva.
Trocar lubrificantes e filtros regularmente, além de abastecer com combustível de boa procedência é um dever do motorista. Porém, se o veículo rodar mais com álcool é recomendado que o filtro de combustível seja substituído a cada 10 mil Km, para evitar o acumulo de borra, que pode danificar o motor. O usuário precisa verificar se o reservatório de partida a frio tem gasolina suficiente e substituir o filtro de combustível ligado a esse componente, de acordo com a indicação do fabricante.

onde fica o sensor de temperatura do uno flex?

Image Hosted by ImageShack.usEstar localizado no cabeçote abaixo do coletor admissão.  Este sensor  é basicamente  um termistor,ou seja um resistor que varia sua resistência com a temperatura.Funciona da mesma forma que os sensores de medida de temperatura.
Em temperatura baixas, a resistência é alta,á medida que a temperatura sobe, a resistência diminui.É um componente denominado NTC.
A unidade de comando faz passar uma corrente elétrica por este sensor e mede a variaçao da tensão elétrica (voltagem),que será usada para calcular a temperatura do motor nas fases fia e quente.A temperatura da água é necessário para efetuar os seguinte cálculo:
-ROTAÇÃO DE MACHA -LENTA
-AVANÇO E ÂNGULO DE PERMANÊNCIA DA IGNIÇÃO
-TEMPO DE INJEÇÃO( TI )

OBS:

NA FALHA DESSE SENSOR O SINTOMA MAIS COMUM É. ALTO COMSUMO DE COMBUSTÍVEL. NA LINHA FIRE O ELETROVENTILADO ( ventuinha ) DISPARA LIGADO.. POR QUE?. NO SISTEMA FIRE NAO HÁ PRESENÇA DO INTERRUPTOR  TERMICO( cebolão ) E A UNIDADE DE COMANDO ENTRA NO ESTADO DE EMEGENCIA.

MOTOR NÃO PEGA DEPOIS DE AQUECIDO




O motor pega normalmente quando  frio,mas quando atingir a temperatura operacional e for desligado, o motor vira mas não pega. (tem centelha nas velas e injeção de combustível na admissão) O motor só volta a funcionar se ficar parado por alguns minutos.
Observamos que ao  retirar a mangueira do respiro do motor (como se mostra na foto) o problema não aparecia e o motor pegava normal  tanto quente como frio.
CONCLUSÃO: conclui-mos que o desgaste elevado dos cilindros do  motor ocasionava o aumento de pressão do cárter e consequentemente a emissão execessiva de vapor ( fumaça )aspirava através do respiro acumulando-se nos cilindros do motor-esses gases empedia a combustão provocando o defeito. O motor só ligava se fossem aguardados alguns minutos tempo necessário para que parte dos gases deixasse o motor.

SOLUÇÃO: RETIFICAR O MOTOR

 CONCLUSÃO: o problema oriundo de dois cinlindros.

segunda-feira, 25 de abril de 2011

kombi queimando bobina de igniçao.



DEFEITO: O cliente disse que  já era a terceira bobina de ignição





causa:Geralmente quando isso acontece nessas kombi à ar o defeito é no negativo de alimentação da própria bobina,onde o mesmo é diretamente aterrado!O positivo vem do relé principal e o negativo é aterrado no próprio motor. outro problema comum é o aterramento do motor.



SOLUÇÃO:


PROCEDIMENTO PARA A RESOLUÇÃO DO PROBLEMA:

FAZER UM NOVO ATERRAMENTO DA CAIXA DE MACHA
AO MOTOR DO MOTOR AO CHASSI DO CHASSI AO
MÓDULO DE INJEÇÃO ISSO É UM PROCEMENTO COMUM
OUTRA COISA TAMBÉM É SUBSTITUIR AS VELAS, SEUS ELETRODOS
ESTAVA MUITOS ABERTO ISSO CAUSA Á QUEIMA PREMATURA
DA BOBINA DE IGNIÇÃO. COM O PROCEDIMENTO TOMADO
O PROBLEMA FOI RESOLVIDO  


ABRAÇOS 

sábado, 23 de abril de 2011

FIAT FIORINO E UNO DEFEITO COMUM

Fiat Fiorino e Uno
     Veículo detona e veículo rateia na aceleração de retomada?
Após um check-up no Sensor MAP com um SCANNER em que tudo estava normal e foi feito todo o teste e estava com problema no seu sinal de resposta o defeito constatado foi o entupimento do canal de vácuo no Corpo de Borboleta e que limpo o veiculo voltou a funcionar normal. 

sexta-feira, 22 de abril de 2011

A válvula corretora da macha-lenta encontra-se no coletor de admissão.

O controle da macha-lenta é feito por obturador que atua numa passagem de ar adicional existente entre a parte entre a parte superior e interior borboleta principal (BY-Pass ) O obturador permite a passagem de uma maior ou menor quantidade de ar em função das necessidades do motor.Assim quando ocorre uma aumento na carga do motor, ex: ao se ligar o ar condicionado ou "ventoinha" do radiador , a macha-lenta sempre atuará para estabilizar.A correção da macha-lenta também ocorre na fase fria do motor aumentando a rotação de macha-lenta para 1200RPM,pois quando o motor está frio a quantidade de mistura deve ser maior para que haja estabilidade na macha-lenta e condições de normalidade do veículo.

Na falha desse atuador> Sintomas macha -lenta oscilando, motor morrendo , motor acelerado,motor demora pegar pela manha e outros.

FORD EEC IV - OBD II .COMO FUNCIONA ?


  • Sistema de injeção tem por função um controle total do motor, coletando dados de diversos sensores, processando-os e gerando valores de saída através de atuadores que garantem boas condições de funcionamento.
  • Este sistema é dividido em duas grandes partes em: Software fica instalado na Centralina ou ECU e sua função é: controlar as saídas, com base nos valores dos sinais de entrada. Hardware inclui o módulo do controle do motor chamado de Centralina ou ECU, Sensores, Interruptores, Atuadores, Válvulas etc.
  • A Centralina recebe informações de uma variedades de sensores, e os processa através de um computador digital e envia sinais aos diversos atuadores.
  • A unidade de controle ou Unidade de comando está constantemente realizando leituras dos sensores distribuídos pelo motor. Este sistema utiliza basicamente informações dos seguintes Sensores.
  • Sensor da Temperatura da Água.
  • Sensor da Temperatura do Ar de Admissão.
  • Sensor da Massa de Ar de Admissão.
  • Sensor da Velocidade do Veiculo.
  • Sensor da Posição da Borboleta do Acelerador.
  • Sensor da Posição da Árvore de Comando de Válvulas.
  • Sensor da Posição da Árvore de Manivelas.
  • Sensor da Velocidade do Veiculo.
  • Sensor da Concentração de O² no escapamento.( sonda lambda)
  • Interruptor do ar condicionado.
  • Interruptor da pressão da Direção Hidráulica.
  • Sensor da Posição do Pedal de Embreagem.
 n Através dos valores captados dos sensores e nos interruptores a Centralina ou ECU comanda os atuadores que mantém as seguintes operações.

  • Marcha Lenta.
  • Instante da Injeção de combustivel.
  • Taxa ar/combustivel e quantidade de mistura.
  • Ignição e ângulo de avanço da centelha.
  • Abertura e fechamento da Válvula de Canister.
  • Abertura e fechamento da Válvula EGR.
  • Funcionamento da Bomba de Combustivel.
  • Controle da temperatura do motor.

n Há também modos de segurança, ou seja se a Unidade de comando falhar, a quantidade de combustivel a ser injetada e o avanço da ignição passam ser controlados pela (Estratégia de Operação em Emergência ) que permitira que o veiculo chegue até uma oficina. Caso haja falha em algum dos sensores a Centralina assume valores padrões que se encontram armazenados como parte da (Estratégia de Operação em Emergência)

OBS:APÓS 80 KM RODADOS, SENSORES E ATUADORES SOFREM DESGASTE NECESSÁRIO  A SUBSTITUIÇAO.

quarta-feira, 20 de abril de 2011

SANTANA A GÁS NÃO FUNCIONA A GASOLINA.

DEFEITO: Este Santana deu entrada na oficina  vindo de outra outra oficina, o Cliente disse que após trocar a bomba de combustível motor dava partida somente no  gás mais quando mudava para gasolina   o motor morria.
CAUSA:  Foi iniciado o diagnostico fazendo os testes de pressão e vazão da bomba de combustível a mesma  estava deficiente, testamos  cabos, velas e bobina de ignição e nada foi encontrado. Partimos então para um rastreamento com scanner e tudo estava ok 
TESTANDO O CIRCUITO DA BOMBA DE COMBUSTÍVEL.
TESTANDO: PONTA DE PROVA, no fio que vem do terminal 87 do relé da bomba. Dar partida no motor  Positivo (+) (12V). durante a partida.
 Ignição ligada, motor parado, PONTA DE PROVA no fio de aterramento da bomba  Negativo (-)
então retiramos a bomba de combustível e para nossa surpresa encontramos o tampão que vem na bomba para proteger de sujeira   medimos a pressão da bomba fora do carro e sua pressão estava deficiente  e, depois de funcionar ela parou e não funcionou mais.
SOLUÇAO. subistituir a bomba, pois a mesma queimou por funcionar muito tempo seca . problema resolvido
OBS: a causa de uma deficiência de pressao nem sempre estar na bomba de combustível. mas pode ser um erro mecânico.
se vôçe já pegou um defeito assim comente. 

BOMBA DE COMBUSTÍVEL.ENTENDA

A bomba de combustível tem por função alimentar os bicos injetores com pressão vazão constante ( em conjunto com o regulador de pressão ).Se o motor parar de funcionar,mesmo com a chave ligada, a bomba para de funcinar por segurança. No tubo de saida de combustível da bomba e está instalada uma vávula de retenção para que a linha permaneça pressurizado mesmo com o veiculo desligado.


DICA:Como em todos os sistemas eletrônicos, essa peça também apresenta desgaste .. e apresenta alguns sintomas como: motor sem força,motor não desenvolve,estouros no coletor, barrulho tipo, "zunido" muito alto na bomba, motor as vezes morre e pega depois de uns 10 minutos.OBS: ALGUNS DESSES SINTOMAS APARECE ANTES DA BOMBA PERDER TOLTAMENTE SUA FORÇA.
Posted by Picasa

terça-feira, 19 de abril de 2011

MONZA.FALHANDO MUITO


DEFEITO: Este Monza não abria o giro quando se pisava fundo no acelerador, ou seja, ele não atingia uma alta RPM e quando se acelerava de uma vez o motor falhava chegando as vezes a dar estouros dentro do coletor de admissão.http://blocktotal.blogspot.com/2011/04/sensor-mapenteda.html
CAUSA: Iniciamos testando o sistema elétrico e a pressão da linha de combustível e estes não apresentaram problema algum, com o uso de um multímetro identificamos que o sensor MAP estava com uma leitura acima do normal, foi feito o teste no sensor com uma bombinha de vácuo e o mesmo se mostrou funcionando normal examinamos a mangueira  que a liga ao corpo da borboleta e mesma estava ressecada.
COMO TESTAR ESSE SENSOR:
TESTANDO

1- Com ignição ligada e o motor parado coloque a PONTA DE PROVA no terminal A do sensor fio (preto/amarelo) ou pino A11 da centralina > Deve ter massa (-).

2- Com ignição ligada e o motor parado coloque gafanhoto com a ponta (verde) do MULTITESTE DIGITAL no fio (cinza) terminal C ou pino C14 da centralina) > Deve ter 5V.

3- Com a ignição ligada e o motor parado coloque o gafanhoto com a ponta (verde) do MULTITESTE DIGITAL no fio (verde)terminal B do sensor ou pino C11 da centralina . Coloque a bomba de vácuo no sensor > A resposta do sensor deve estar de acordo com Dados abaixo : Estes dados poderá ter pequena diferença nos valores dependendo da pressão atmosférica local.

4- Com ignição ligada e o motor parado se os dados forem verificados e o código continua, verifique entradas falsas de ar, mangueira, obstrução, vácuo no coletor de admissão.DADOS


Vácuo mmHg

Tensão V

0

4,9

150

3,8

230

3,3

300

2,7

380

2,2

400

2,00

500

1,20
SOLUÇÃO: Foi feito a substitução da mangueira e o problema foi solucionado.

SENSOR MAP.ENTEDA



Este sensor avalia as variações  de pressão ocorrida no coletor de admissão decorrentes das variações de rotação  e carga no motor.
A pressão absoluta no coletor é equivalente á variação do sistema de vácuo no coletor de admissão.Este sensor é ligado ao corpo da borboleta através de uma mangueira flexível.A unidade de comando fornece uma tensão de 5 volts e esta é convertida em frequência, ou em tesão,dependendo da depressão no coletor.Esta informação é utilizada para se calcular a quantidade de combustível a ser injetada
a rotação de macha -lenta e o avanço da ignição.Quando se liga a ignição ( motor parado) ou quando a borboleta está totalmente aberta, o sensor vai estar medino a pressão atmosférica e esta é imediatamente calculada  e armazenada na memória da unidade de comando para determinar o combustível a ser injetado.
OBS: Na falta desse sensor observa-se os seguinte sintomas: estouros no coletor de admissão,macha-lenta oscilando,e um cheiro forte no escapamento.

SAVEIRO 1.8 motor AP FALHANDO.

 O cliente reclamou que o motor do seu carro estava falhando na baixa rotação e "buracos na aceleração.

CAUSA .instalamos o manometro para aferir a pressão da bomba resultado pressao de linha 3.0 bar considerada normal e na maxima 5.5bar suficiente para esse carro. Indicação da tabela:com a bomba ligada, leia manômetro>..
Feche lentamente a válvula, deve indicar de 4 a 6 bar ( pressão máxima)Se a pressão subir muito, a válvula de segurança da bomba pode abrir despressurizar o sistema . tudo ok
No Scanner falha no sensor da borboleta  resolvemos fazer o teste circuito logo de vista, percebemos o chicote quebrado.

SOLUÇAO. substituir conector do sensor da borboleta e reparar chicote. e o problema acabou. 
OBS: Na falta de sensor observa os seguinte sintomas.http://blocktotal.blogspot.com/2011/04/sensor-da-borboleta.html e levando sempre em conta que 70% dos defeitos sãos de origem de mau contato.

sábado, 16 de abril de 2011

TEMPRA 2.0 16V P8

Erro comum neste modelo
Montagem trocada do conector  do Sensor de Temperatura da Água  pelo conector da Válvula Térmica Adicionadora de Ar da Fase Fria
Erro comum neste modelo
Montagem trocada do conector  do Sensor de Detonação  pelo conector da Sonda Lambda
Erro comum neste modelo
Montagem trocada do conector  do Sensor de Detonação  pelo conector do Sensor de Fase mesmo com conectores com cores diferentes.

New Beetle 2.0L



Intervalo de Troca da Correia Dentada
É recomendado uma revisão a cada 35 mil km ou um ano com possível troca.
A montadora recomenda a troca após 100 mil Km .
Devem sempre serem levadas em conta as instruções de serviço do veiculo.


Este motor foi identificado como motor de precisão , no qual o caso de um dano entre o pistão e as válvulas é muito provável se a correia dentada não for instalada corretamente com as marcas de idenficação.
Aconselha-se fazer um teste de compressão em todos os cilindros .


Remover e Instalar 

Disconecte o cabo do terra
-Não gire a Arvore de Manivelas nem o Comando de válvulas ao remover a correria dentada .
-Remova as velas para aliviar a pressão do motor se ele tiver que ser girado
-Gire a Arvore de Manivelas para direção normal de funcionamento.
-Não gire a Arvore de Manivelas pelo Comando de Válvulas ou alguma outra polia dentada.
-Observe todos torques de reaperto.


1-Remova:
-Protetor da água Direito
-Protetores do motor
-Correia dos Acessórios
-Protetor Superior da Correia Dentada fig 1.

2-Gire o comando de válvulas no sentido horário e ensira no cilindro 1 o ponto morto superior  e alinhe as marcas do ponto fig. 2



Confira a marca de ponto alinhado 

instale a correia dentada na polia do tensionador e engrenagem da árvore de manivelas.
Instale a correia dentada e mantenha a correia esticada no lado oposto ao tensionador.
Gire a polia tensora no sentido horário utilizando uma alicate de anéis, alinhado com o entalhe os tencionadores





SENSOR DA BORBOLETA.




Este sensor é constituído por potenciômentro cuja parte é comandada diretamente pelo o eixo da borboleta .Sua função é informar a unidade de comando,sobre a posição angular da borboleta do acelerador e também a velocidade com que a borboleta é acionada.
Este sensor é alimentado pela unidade com tensão de 5V.A tensão obtida por essa  variação elétrica,é enviada para unidade de comando como  sinal da posição da borboleta do acelerador.Com esse sinal a unidade de comando adota as estratégias de marcha-lenta, como CARGA PARCIAL,ENREQUECIMENTO NA ACELERAÇÃO,PLENA CARGA E FREIO MOTOR.

Com a borboleta fechada o contato do sensor está com sua resistência máxima,produzindo como sinal para unidade,um mínimo valor de tensão.A unidade,com esse sinal faz um monitoramento da rotação  em marcha-lenta.

-Ao iniciar a aceleração,a variação progressiva de tensão,faz com que a unidade de comando o enriquecimento da aceleração e adote curvas de avanço de acordo com a carga e rotação exigida.


OBS: Na falha desse sensor a unidade de comando adotará 2 valores fixo correspondentes ao sinal de borboleta fechada isso é para comandar a marcha-lenta.SINTOMAS "BURACOS" NA ACELERAÇÃO NA BAIXA E NA ALTA ROTAÇÃO,EM  ALGUNS CASOS A MACHA- LENTA FICA IRREGULAR.


como testar o sensor da borbeleta

TESTANDO

1- Ignição ligada, motor parado, PONTA DE PROVA no fio ligado ao terminal 91 da centralina. Negativo (-).

2- Ignição ligada, motor parado MULTITESTE DIGITAL modo voltímetro no fio ligado ao terminal 90 da centralina. aproximadamente 5V.

3- Ignição ligada, motor parado, MULTITESTE digital, modo voltímetro, no fio ligado ao terminal 89 da centralina. Valores de acordo com a tabela abaixo.obs: ESTE TESTE FOI FEITO EM CARROS DA LINHA FIAT, 


BORBOLETA FECHADA  Tensão V
de 0,6 v a 1,2 v
BORBOLETA MEIO ABERTA  Tensão V
de 2v a 3v
BORBOLETA TOTALMENTE ABERTA Tensão V
de 4v a 5v